sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

NÓS, OS GUEVARAS


NÓS, OS GUEVARAS

"Deixe o mundo mudar você e você poderá mudar o mundo." Che Guevara

            Já está em curso uma profunda revolução de paradigmas, com desdobramentos econômicos e sociais sem precedentes, bem diferente daquela outra revolução, a cubana, em que Che foi um dos principais protagonistas.
            Inimigos como o egoísmo, os preconceitos e o orgulho - causas de todos os males humanos - sempre estiveram encobertos pela impessoalidade e a imaterialidade, por isso nunca foram objetivamente combatidos.
            As lutas agora são travadas em nossos corações. Fulgêncio Batista* representa as mentalidades atrasadas (estas mesmas que estou sempre criticando aqui no blog); Sierra Maestra**, as áreas que atuamos na sociedade; a guerrilha***, nossas ações individuais, e Che Guevara somos todos nós que acreditamos na transformação revolucionária pelas idéias.
            O maior “guerrilheiro” da história, levantou em territórios palestino/israelense, a única bandeira em que acredito... a do amor. Mas como amar o desconhecido se só amamos integralmente aquilo que conhecemos e entendemos? Por isso, a grande transformação é agora, comigo (em mim), através do conhecimento pleno sobre mim mesmo, pois só assim poderei entender meus semelhantes e ficar apto a exercer o verdadeiro amor revolucionário: “amar o meu próximo como a mim mesmo”.
            As batalhas tem que ser travadas em trincheiras interiores, não necessitando, para isso, grande feitos, atitudes heroicas, filosofias profundas, religiões, ideologias, valores materiais ou “esoterismos de algibeira”, basta apenas um primeiro passo: desejar para o próximo o que queremos para nós. A preocupação deve ser com a unidade, com o individual, pois o todo mudará por conseqüência, primeiro muda-se o homem, na certeza histórica que a sociedade se ajustará à maioria.
            Por questões ideológicas, pode até parecer contraditório, mas sempre tive uma grande admiração pelas opiniões revolucionárias de Che Guevara, as ideias que proclamva são a causa, e não sua fé no socialismo ou suas ações de comando na Cuba pós-revolução, a razão de ter se transformado neste mito universal que todos conhecermos.
           Resolvi relacionar suas “máximas” (clique no link), para mostrar o quanto seus pensamentos (não sua prática) estão ajustados aos novos tempos, e até as minhas lutas por transformação, e que tanta ênfase dou aqui no blog...  "O guerrilheiro é um reformador social".
             A única diferença é que as reformas que acredito vem pelas ideias e não pelas armas, pela vida e não através da morte.

* Fulgêncio Batista era o homem forte de Cuba até ser derrubado pela revolução.
**Sierra Maestra foi o lugar onde os rebeldes liderados por Fidel Castro se instalaram para organizar o movimento guerrilheiro que iria derrubar Batista.
*** Guerrilha: É um tipo de guerra não convencional no qual o principal estratagema é a ocultação e extrema mobilidade dos combatentes, chamados de guerrilheiros.
  • Esta minha "Cubalibre" idealizada não tem mais lugar para a Cuba "dos" irmãos Castro, sobretudo depois da greve de forme e a morte do pedreiro e dissidente Orlando Zapata, que reivindicava, em vez de "prisioneiro político", que fosse tratado como "prisioneiro de consciência".
    Preciso encontrar urgentemente uma nova metáfora para os meus devaneios sociais.
  • A História não engana... na vanguarda de ontem estão os reacionários de hoje

    CONHECENDO O OUTRO LADO DA MOEDA 

    E AQUI O FILME COMPLETO: "ANATOMIA DE UM MITO"

6 comentários:

ZELUIZ disse...

Belo trabalho, Fernando! Os professores do Brasil precisam descobrir o seu blog.

Nau disse...

Che é o "humano demasiadamente humano". Girar o mundo numa bicicleta e descobrir entre as andanças o quão devemos ser generosos e simples, dentre outras lições.
Continuo apreciando seu blog. Suas postagens tornaram-se referência para mim.
Sucesso e paz!

Marli disse...

Oi!
Passei pra ver teu blog e deixar minha flechada com o Dardos. Passa lá no blog pra pegar o selo. BJ!

teacher vera disse...

muito bem, sr fernando! mais uma vez só tenho elogios! você falou que entende de " gente" e dá pra perceber isso.percebe-se a sua preocupação com o material mais precioso que temos: a alma - essência humana.
mandou muito bem!
bjs

Chikita Bakana disse...

Caro companheiro Fernando,

Me identifiquei totalmente com seu texto...você expressou os meu pensamentos. Também compartilho com sua "cubalibre".
A cada post seu me apaixono ainda mais por seu blog.
Bjs,

Rita Barroso

Fernando Oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.