domingo, 16 de outubro de 2011

DIA DO PROFESSOR E O QUIXOTE BRASILEIRO

           Bem de acordo com a data, assisti esta semana “Policarpo Quaresma, Herói do Brasil”, uma adaptação do romance “O Triste Fim de Policarpo Quaresma”, de Lima Barreto, filme que todos os professores deveriam assistir com seus alunos e esmiuçá-lo em sala de aula, estabelecendo, precisamente, os limites entre o sonho e a realidade, o certo e o errado... o justo e o injusto.
           Policarpo é o Dom Quixote brasileiro, que ama o Brasil acima de si próprio, sua visão sublime da realidade e o ideal de formar uma grande nação brasileira se contrapõem à realidade que o cerca, "evidenciando de forma contundente a mediocridade das pessoas e o vazio de valores éticos de uma sociedade que o tempo se encarregou de preservar até os nossos dias".
           Segundo a professora Flávia Suassuna, Lima Barreto, simbolicamente, aponta as engrenagens da História: Pátria, ao fim e ao cabo, é uma construção, não um sonho; é um processo de enfrentamento da realidade, não de idealismo, "Amar a Pátria significa participar da criação de todos, para todos - Policarpo Quaresma está vivo dentro dos que querem um país que abrigue todos os brasileiros".
Copiei alguns trechos do filme “Policarpo Quaresma – O Herói do Brasil”, da Vitória Produções Cinematográficas:



Uma das muitas características daquele escritor visionário que estava muito à frente do seu tempo.



Não se trata de polemizar entre agricultura familiar ou agronegócio, é mais uma questão de registro histórico. Lima Barreto, o visionário, antecipou em um século uma discussão que até hoje suscita controvérsias.
...E as verdadeiras saúvas continuam destruindo o Brasil


A MODA DE VIOLA COMO A “EXPRESSÃO DA ARTE NACIONAL”

A CRÍTICA DE LIMA BARRETO SOBRE A EQUIVOCADA CRENÇA DO POSITIVISMO DE QUE A CIÊNCIA RESOLVERIA TODOS OS PROBLEMAS HUMANOS

A AMEAÇA DOS LIVROS
“ Sabe de uma coisa, general?
- O que é?
- O Quaresma está doido.
(...)
- Nem se podia esperar outra coisa, disse o doutor Florêncio. Aqueles livros, aquela mania de leitura...
- Pra que ele lia tanto? indagou Caldas.
- Telha de menos, disse Florêncio.
Genelício atalhou com autoridade:
- Ele não era formado, para que meter-se em livros?
- É verdade, fez Florêncio.
- Isto de livros é bom para os sábios, para os doutores, observou Sigismundo.
- Devia até ser proibido, disse Genelício, a quem não possuísse um título "acadêmico" ter livros. Evitavam-se assim essas desgraças. Não acham?
- Decerto, disse Albernaz.
- Decerto, fez Caldas.
- Decerto, disse também Sigismundo”.


O UFANISMO PATRIÓTICO - "AURORA GUARANI - ALTANEIRA DESCENDENTE DA PRIMEIRA GENTE... EVA GUAIAQUI"

CIÊNCIA E ARTE

EDUCAÇÃO JÁ ERA PRIORIDADE

DIA DO PROFESSOR
NÃO SE É PROFESSOR POR ACASO!

"Dá pra imaginar o tamanho desta responsabilidade?
Este professor tem que se misturar à educação fornecida
pelos pais e por toda a família de seu aluno, que possuem
uma história de gerações passadas, com características
individuais e diversas.(...) O professor, se não estiver encharcado da vontade de
ensinar, de educar, de se doar, não conseguirá o respeito
de seus alunos, de seus pares, muito menos de
toda a sociedade".

Postagem de 16/10/2010, Dia do Professor do ano passado, a materialização das alegrias que esta profissão pode dar em termos de realização pessoal: AQUI, e o divisor de águas em minha carreira de educador... AQUI

Um comentário:

Chikita Bakana disse...

Caro e querido companheiro Fernando,

Você aprender comigo???
Quem sou eu???
Tô tentando expressar alguma coisa, antes que os meus gritos interiores me explodam, de uma maneira a atingir a massa... coisa muito difícil e por vezes ingrata e desanimadora.
Mas quando recebo um comentário como o seu, de uma pessoa extremamente culta e focado no SER, eu me alegro e volto a acreditar em mim mesma.
Obrigada pela visita em meu blog e pelo incentivo.
Tô me deliciando aqui!!!
Bjs...

Rita Barroso